null

Como surgiu a Candanga

Nossa primeira experiência com produção de cervejas foi em 1997 nos EUA. Bastante tempo depois, após o curso na Confraria do Marquês, encontrei um kit para produção de cerveja artesanal por um preço bastante atrativo na internet. Com  poucos recursos financeiros naquele inicio de ano, entrei em contato com o vendedor, que me deu um prazo de 24 horas para viabilizar o negócio. Fui passear com a minha cachorrinha tentando imaginar uma solução. A vontade de fazer cerveja era enorme, as ideias infinitas. No meio do passeio a cachorrinha parou numa árvore e começou a cheirar, mexer na raiz com a pata. Eu a chamava, para continuarmos o passeio, e ela entretida na árvore. Foi quando com a patinha ela puxou, e veio um envelope preto, sem nome, sem identificação. Eu peguei, abri, e só tinha notas de R$50,00 e R$100,00. Quantia suficiente para comprar o Kit que tinha reservado, e voltar a fazer cerveja. Tive a sensação que era o destino me dando a oportunidade de dar um novo rumo a minha vida, agora num mercado totalmente diferente do mercado das artes marciais. Desde então, a produção nunca parou. Ela cresceu e se profissionalizou.
E foi assim que a Fuça virou rótulo!

O processo de transição da panela para um fábrica é caro, complicado e bastante burocrático. Para conseguir levar a Candanga até a fábrica, e depois para as prateleiras, contei com ajudas cruciais de pessoas muito importante nesse processo.

Marilia Fonseca Costa – Minha mulher, minha amiga e companheira, a inspiração da Candanga. Nascida em Brasilia, o nome Candanga é uma homenagem a ela.

Carlos Albano Fonseca Costa – Meu pai. O cara que analisou o plano de negócios, me deu inúmeras sugestões e me orientou na busca de investimentos para o projeto.

Marcelo Breda – É o cara da qualidade Candanga em cervejas. Mestre cervejeiro de mão cheia, beer sommelier, beer judge, trouxe todo seu conhecimento para nossas brassagens. Também sócio da Cervejaria Cuesta, um verdadeiro mestre, com quem aprendo muito.

Eduardo Sardinha – Amigo de quase vinte anos, um dos sócios da Cervejaria Cuesta, foi a pessoa que me incentivou, me deu as informações necessárias para montar o plano de negócios, e coordenou todo o processo até a fábrica, e a liberação do registro pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. É um dos mentores da Candanga.

HOMENAGEM

Confraria do Marquês – Mauro Nogueira, André Nader, Ivan Azevedo e Tiago Dardeau. Tudo que sei, tudo que aprendi, devo a eles. Meus mestres, incentivadores e amigos. Eles são os pioneiros, o alicerce da cerveja artesanal no Brasil.

Yuri Lucas e Leandro Palermo – Conheci Yuri e Leandro no curso de fabricação de cerveja artesanal da Confraria do Marquês. Desde então, ficamos amigos. Lançamos cervejas mais ou menos na mesma época, sempre demos suporte um pro outro, dividimos estande em nosso primeiro evento. É fácil ver um no estande do outro nos eventos. Amigos da cerveja que ficam pra vida toda.

IMG_3653